19 agosto, 2008

22:23

Se fosse brisa eu encarava como quem não tem medo de ser seguido pela própria sombra,mas não,era ventania,tempestade que varria tudo e todos que entrassem em sua frente.E essa sensação de não conseguir correr,de não saber pra onde olhar,como me esconder.eu apenas queria gritar,mas até disso me privaram.
Eu tentei acordar,eu tentei afastar de mim esses pensamentos que insistem em assombrar meus dias,porem,em determinados dias,dias como hoje,parece que toda a força que tenho tentado acumular,não é suficiente pra me manter me pé.
Fecho os olhos,tento respirar fundo,mas essa poeira que me cerca apenas dificulta mais a situação.
Você já se sentiu assim,já sentiu esse peso,essa vontade de desistir,o peso que as pessoas esperam que você carregue,dobrar de volume?Já teve a sensação de que quanto mais você tenta sorrir,mais as pessoas querer te ver cair,se afundar em uma lamentação profunda?
Eu queria que essa angustia terminasse,que eu parece de ser assim,de deixar que as pessoas aproveitem que estou aqui e só saibam tirar cosias de mim,só sabem reclamar,cuspir nos favores que presto,na ajuda que dou,nas cosias que faço.
É como se nada que eu fizesse fosse bom o suficiente aos olhos alheios.
Esse julgamento,essa superioridade com que as pessoas se encaram.
Quando foi que isso virou mundo? Quando foi que tudo se perdeu?
Eu dormia tranqüila,e de repente quando levanto para tomar café,tudo ao meu redor esta de pernas pro ar,nada mais faz sentido.
E se me for permitido aqui questionar,não sei mais se quero continuar a caminhar com essa duvida de nunca saber explicar quem eu sou,o que eu quero,o que me fez ser assim,o que sobrou de mim.
Sentido algum pode ter isso aos teus olhos,porem,sempre encontrei na confusão uma conselheira que ao contrario de todos os outros,não me julga,apenas me ouve.

3 comentários:

Ronny William disse...

já me senti assim. Muitas vezes.
E seria ignorancia da minha parte achar que não me sentiria assim de novo.
Estamos sempre em conflito com nos mesmos.
As x, faltam até palavras pra dizer o que se passa.
Mas é sempre um novo aprendizado e um novo sorriso depois de um final.
O começo é sempre inspirador.

:*

Lu disse...

É...e crescer é isso, né? É sentir essa injustiça natural do mundo.
Fere...Mas ás vezes nós não fazemos o mesmo?
Eu já pensei e escrevi sobre isso... Agora me policio para não fazer aos outros oq fazem pra mim.

Beijão e obrigada pelo comentário e pelos elogios.
Volte sempre! =)

Rαfαεℓℓα disse...

Sempre que tem uma tempestade...dpois o tempo abre num maravilhoso dia de sol...

Bjus, amo seu blog! ;*