28 abril, 2009

Tenho perguntas,mas..Cadê as respostas ?

Os cuspes poéticos sempre fluíram melhor quando eu encarava tudo com a naturalidade que se encara uma conversa.
Mas,uma conversa em seu ápice,não em seu início,onde eu me esforço para quebrar a barreira da minha timidez e do medo de me relacionar,enquanto luto pra tentar achar algum assunto seguro o suficiente para que possamos nos perder.
Eu costumava gostar de ouvir promessas.Futilmente eu acreditava que elas comprovavam algo.Uma importância subrremetida a seu ser,um compromisso ,o início de uma conectividade,um algo a mais sem lógica alguma,mas que parecia perfeito o suficiente como prova para deposito de confiança ilimitável.
Hoje,mal consigo disfarçar minha completa aversão e pânico ao ouvir o verbo PROMETER ser conjugado.
De uma forma nada agradável e boa de ser lembrada,eu fui aprendendo que confiar ilimitavelmente é sempre um erro,e que promessas nunca passam disso:palavras jogadas ao vento,sem compromisso algum com a realização;são apenas mais uma forma das pessoas tentarem te enganar,de acharem o caminho mais fácil para furtarem todas as tuas bondades e qualidades e deixarem mais rombos,lacunas,espaços vagos em seu peito.
Então me pergunto: em uma mundo onde todas as pessoas carregam seus medos,inseguranças,más lembranças,pesadelos,demônios e afins,é pecado ser assim?
É errado ter dificuldade em acreditar nas pessoas,em confiar?
Isso faz de mim uma má pessoa,ou faz de mim apenas mais uma com seus defeitos e dores?
Tira meus méritos,minhas razões ou é só mais um motivo a ser adicionado a lista dos motivos dignos de pena?
Não pedi lagrimas,braços estendidos.Não pedi promessas de resoluções para problemas que só cabem a mim ser solucionados...pelo contrario,de promessas eu quero distancia.
Estou aqui pra escrever sobre o ocorrido nos fins,e não para debater e participar do núcleo de pessoas que sofrem de uma conveniente e inesperada fase de amnésia,e se esquecem do que disseram a cinco segundos atrás.
Não gaste seus vocábulos,eles vão apenas piorar mais,o que já esta em ponto irremediável.
É mais fácil lidar com a dor ou com a ausência da mesma?

12 comentários:

CARLA ROCHA disse...

Muito bom! Estou exatamente com as mesmas questões de seu texto! Belo blog! Semana iluminada pra você!

Luan Fernando disse...

Muitas dessas perguntas são perguntas que sempre vão fazer parte do nosso dia-a-dia, algumas chegaremos a suas respostas outras provavelmente não, mas temos que aprender a viver com elas.

Fernanda disse...

acho que entre sentir ou não dor,eu prefiro o meio termo...
é por causa dela que meus autores favoritos escrevem,é por causa dela que eu encontro forças onde jamais poderia imaginar que existisse,é quando estou sofrendo,ou sentindo dor que percebo o quão forte eu sou,e sei que posso superar um obstaculo...
e sobre essas tais perguntas sem respostas...acho que se elas não existissem assistiriamos a aposentadoria do verbo sonhar em todos os seus tempos verbais,com excessão talvez do futuro do pretérito por que acredito que são nas perguntas que fazemos que nascem os sonhos,por que nos sonhos buscamos as respostas da realidade...enfim,quase que filosofei aqui.huahauahua

Sofiia disse...

acho que eu prefiro não sentir dor. mas tem umas horas que elas nos fazem aprender, eu acho.
:**

ana c disse...

na verdade prefiro senti-la.
é meio um sinal de que continuo vivendo; além de que, sem dor, não ah alivio.
mas dor em excesso também é muuuuito ruim; quem gosta de dor de dente? hehehe

amei seu texto!
=*

May disse...

Amoor, tem um meme pra ti no meu blog *-*

Marcela disse...

'É mais fácil lidar com a dor ou com a ausência da mesma?'

Eis aí uma pergunta confusa, de respostas confusas... Se você é acostumado com a dor, quando ela some de repente, você sente até culpa... porque eu fui livrada dessa dor enquanto tantos inocentes sofrem? E a minha melancolia usada como desculpa pra tanta coisa? Eu não mereço viver bem e sem dor...
É, bem complicado.

Promessas... Eu acredito mais nas dos outros do que nas minhas, tenho procurado não fazer mais...

Abraços!

jessicadeverdade disse...

Boa pergunta... Se encontrar a resposta me avisa ok?
té mais

Rafael disse...

Promessas inseguras
Ocorridas segundos atrás
Com as dores do verbo
Num irremediavel esquecimento
Ilimitavelmente vago, me pergunto:
São razões, ou cuspes poéticos?

' Jαdє Amσrιm disse...

Essas perguntas já são muito comuns para mim. Realmente, pena só piora as coisas.
Mas nem todas as pessoas são iguais, você apenas tem de ficar com um pé atrás.

Beeijos!

Luana H. disse...

Sinceramente, não sei.
=)
E sou feliz por não saber...
Como diria a nossa maravilhosa Clarice:
''Não se preocupe em entender...''


Beijos e bom fds!

Aquela tal de brito disse...

o grandes duvidas, cade as pessoas que iram responder nossas perguntas mas complicadas '.'
tenho tantas perguntas como as suas sem respostas ;~

beeeijos;*