01 setembro, 2010

MEU JARDIM.

Os minutos se prolongam a cada repetição da mesma canção.
Pedaços de papeis se acumulam, picotados, ao redor dos pés descalços.
Nenhum som das ruas adormecidas.
Nenhum suspiro dos que sonham.
A curta linha avermelhada vai clareando,e os olhos cansados que pernoitam madrugada adentro,a encaram como invisível.
A já não existência da mesma ,mesmo que sendo uma possibilidade,assusta e logo se torna uma alternativa descartada.
De dois em dois passos,a decepção espreita.
De dois em dois passos,o medo mina as resistências.
De dois em dois,eu caminho e tento alcançar o topo.
Folhas que caem,retornem aos seus postos,aos seus lugares de direito nas copas tristonhas das arvores secas!
Retornem a vida,retornem aos raios esperançosos de um novo dia,onde toda a sujeira criada por aqueles que mantive ao meu lado,não existe mais.
Onde a dor e as lagrimas são proibidas e onde apenas o crescimento e a segurança são conhecidos e cultivados.
No meu jardim e no dele.No seu e no de toda a vizinhança

"Mas no fim do dia,nada mais importa,
desde que seus olhos confiantes,estejam lá,
junto com seus seguros braços abertos,
aguardando que me entregue de corpo e alma
a toda essa felicidade arrebatadora,
que é responsavel por me manter desejosa de mais e mais VIDA
!
Ah,o amor
doce ilusão da qual todos os seres deveriam fazer parte.
Sonho,do qual ninguem deveria acordar.
Ah o amor.
O combustivel que alimenta meu desejo de ter mais e mais ao meu lado
."

.

2 comentários:

Mikaele Tavares disse...

De dois em dois, o amor se faz um!

Ah, fiz um novo Dando Pitaco(um quadro do blog), espero seu comentário ;D

Keel Diniz disse...

'De dois em dois' *--* perfeito e delicado..
Post fofinho, gostei.. me compliquei um pouco mas consegui entrar no jardim hahaha

:* moçaa