30 outubro, 2008

Te apresento Débora [parte V ]

As horas,os dias,as semanas,os meses,foram se passando. E no decorrer deles,Tadeu e Lucy começaram a namorar serio, Lucas e Débora começavam a sair juntos praticamente todos os dias- ambos se enganavam,dizia que era apenas amizade- mas nunca foi,sempre seria mais do que isso- e Ninguém tinha notícias de Sabrina,que cá entre nós,não fazia falta alguma..
Era o ultimo ano da faculdade de literatura de Débora,o ultimo ano da faculdade de Musica do Lucas.O segundo ano da faculdade de Economia de Eliot.
Tudo ia relativamente bem,era mais um dia de seção para Débora.
Lucas a convidou para jantar,e ela decidiu que não sofreria mais,contaria tudo a ele. Mostraria os exames -que deviam estar melhores- e ele escolheria se ia querer ficar com ela ou não.
Abraçou Tadeu na porta,Abraçou Lucy no corredor. Foi feliz fazer os exames de rotina e tomar seus remédios.
Enquanto aguardava o medico,percebeu que Lucy estava usando um anal dourado na mão. Estava noiva de Tadeu.
-Queremos que você seja a madrinha.
Deu parabéns,mandou chamar Tadeu para lhe parabenizar também.
Por um instante,mal conteve toda a felicidade que sentia. Ia chegar em casa e se arrumar para sair com o amor da sua vida. Ia ser madrinha de seus melhores amigos.
Ia viver,finalmente.

Mas,quem dera tudo fosse simples assim,quem dera as pessoas não precisassem sofrer.
Os resultados mostravam uma piora no estagio de Débora. Lucas a deixou plantada no restaurante e no outro dia deu uma desculpa qualquer pela sua ausência.
-Me chamaram para comparecer no trabalho....
Estava mentindo. Ela sabia. Os olhos dele mentiam,desviavam-se dos dela.
- mas vou te recompensar,você vai ver.

Mais dias se passaram. E a vontade de viver foi brincando de gangorra dentro dela. Teve dia em que queria simplesmente não respirar mais,e teve dias em que tudo o que queria era mais ar.
O ano estava quase no fim. Veio a formatura. A felicidade de ter os diplomas em mãos. Chamaram-na para dar aulas em um colégio de nome. Lucas foi chamado para trabalhar em um estúdio. E Eliot continuava a estudar. Tadeu e Lucy se casaram.Lucy estava grávida de gêmeos.
Certo dia o telefone tocou,e um convite a tanto aguardado surgiu. Era a hora. Tinha que ser, afinal,a vida não poderia ser tão injusta de impedi-la de ser feliz,mesmo que por uma noite.
E enquanto Lucas a beijava e desabotoava os minúsculos botões de sua blusa,ela achou ter certeza de que tudo iria melhorar. Que não importava o que acontecesse a seguir,ia ter forças para seguir em frente.
De manha,enquanto ambos se olhavam com ternura,ela pediu que aquele momento não terminasse. Nada poderia interrompe-los.
Lucas se levantou e Débora foi pro quarto buscar os remédios,se sentia um tanto zonza,talvez pelo vinho da noite passada,ou talvez não. Se lembrou que tinha que contar,mas a campainha tocou.
Estranho o porteiro não ter avisado,mas enfim. Abriu. Era Sabrina.
-Hora,hora,vejo que já se casaram- disse debochada.- uma pena ter que vir aqui roubar ele de você queria-disse olhando para Débora.
Ambos se espantaram com a presença dela ali e perguntaram juntos o que raios ela queria.
-Estou grávida-fez uma pausa e apontou para Lucas- e ele é o pai. É quase certeza.

Era loucura,a tempos que ambos haviam rompido,ela se casado,e ele jurava que nunca mais tinha a visto.
Tudo poderia ter sido ignorado ,ou encarado como mais uma das tramóias de Sabrina,caso ela não tivesse lembrado ambos do dia do jantar de Lucas e Débora,aquele que ele não foi.
-Então,você estava com ela?- perguntou Débora em lagrimas
Desesperado,Lucas tentava se explicar:
-Meu amor,olha bem,foi um erro. Eu nunca ia imaginar...eu,te amo Débora,por favor.
Sabrina ia fazer um exame de DNA no outro dia,e como não conseguia mais falar com Lucas,resolveu procurá-lo no apartamento de Débora. E deu certo. Certo até demais.
Débora se trancou no quarto e só sabia gritar que todos saíssem da sua casa.
Sabrina se enfiou em um carro e foi embora,mas Lucas continuava a pedir que ela o entendesse,que considerasse que eles não estavam juntos,e que ele sempre a amou.
-MENTIRA!!!! EU SEMPRE TE AMEI,EU!!!! SERA QUE VOCÊ NUNCA VIU? SERA QUE É TÃO BURRO E TÃO MAL A PONTO DE BRINCAR ASSIM COM O SENTIMENTOS DOS OUTROS.?! FORA DAQUI! EU QEURO VOCÊ FORA DAQUI.
Débora desmaiou. Lucas chamou Eliot e ambulância,e foi embora assim que ela acordou e começou a gritar novamente que queria ele fora de lá.
Ambos choravam. Como pode a vida ser tão cruel com o amor deles?!
[Continua]

6 comentários:

Bruna Bianconi disse...

ual :O
mais mais mais :x
auahauhuha

adooro

Teté disse...

Ai jesuuuuuuuuuuuuuus
assim não dá
achei q dessa vez teria final feliz
hahahahaa
droga =x
e esse fds nem devo ter acesso a net, vou ficar agoniada por uma continuação
hahaha
Bjoos

Jão disse...

Isso mesmo, continua que eu fiquei curioso.
Abraço.

Luana H. disse...

Triste. Forte isso, né?
Um filho com outra... Dolorido!

Obrigada pelo comentário.
Bom fim de semana, querida. Beijão

Ni ... disse...

Biah, como sempre está arrasando nos teus contos...

Continuaaaa!! rs

Beijo e mais beijos...

Camila :) disse...

Mas,quem dera tudo fosse simples assim,quem dera as pessoas não precisassem sofrer.
aain q tristeee :( hehe to amandooo ler heh

bejoo