02 março, 2008

Cartas á Vinicius.!

Minhas quintas-feiras são sempre marcadas pelo fato de quando eu chego em casa a noite,me deparo com a revista Capricho na cama,esperando pra ser devorada durante os 15 dias seguintes.
Eu sento,rasgo ferozmente o plástico,e folheio-as,passando de levo os olhos nos títulos e informações,guardo-a,e só na sexta é que vou procurar as reportagens que mais me chamaram atenção,para lê-las e depois terminar de ler a revista por completa no decorrer dos outros dias.
Porém,essa quinta feira foi diferente. Uma reportagem me prendeu,e eu fui obrigada a lê-la por diversas vezes. Não por que não havia entendido,exatamente pelo contrario,eu a compreendi e ela se encaixou de tal forma nos meus sentimentos,na minha experiência de vida,que por alguns segundos quase não acreditei que poderia ser sobre outra pessoa aquela reportagem,senão eu mesma.
Ninguém sabe ao certo,o que é o causador de tal sentimento amargo,que nos faz desistir da nossa tão fundamental vida,porem,tentamos atribuir tal sentimento a perdas ou a falta de cosias que nos seriam essenciais.
O que me fez por um tempo me entregar a ideias sombrias que rondavam minha mente,foi no caso, a perda de familiares muito presentes,e a falta de amigos ou de uma certa compreensão entre amigos.
Nunca fui muito dada ao fato de expor meus sentimento publicamente,e nem de dar muita importancia ao que eu sentia,sempre procurei me preocupar com o que acontecia ao meu redor,com aqueles que eu amava.
E talvez seja por isso,que uma hora ou outra eu acabei me vendo completamente perdida,com um turbilhão de sensações e desejos a me pertubar.
Assim como Vinicius,a ideia de acabar de vez com a tal da solidão que consumia meus dias, me passou por diversas vezes pela mente,porem muitas vezes eu me culpava por ser covarde demais por nunca conseguir completar meu planos de suicidio.
Hoje tenho muito á agradeçer por nunca ter tido forças de completa-los,pois senão,não estaria aqui hoje,satisfeita com as idas e vindas que a vida dá.
Não tive ajuda de amigos falsos ou verdadeiros para solucionar meus problemas,e nem para supera-los,por tanto,é a primeria vez que confeço o que guardei a tantos dentro de mim.
A dois anos atrás,eu decidi que deveria seguir em frente e afastar essas ideias descabidas da minha cabeça.
Sorria a todo tempo,e nunca deixei que ninguem soubesse que bem lá no fundo,uma parte de mim ainda estava insatisfeita em continuar vivendo.
Para evitar os choros diarios ,e as angustias insuportaveis,eu decidi que tomaria uma postura madura diante dessa "frescura" ..só que é obvio que agente não resolve um problema desse assim.
Quando eu abri os olhos e parei de FINJIR ser madura e passei a querer SER madura,algumas coisas mudaram e muitas vezes não estamos preparados pra essas mudanças.

Até essa quinta-feira,confesso que eu todos os dias lutava contra aquela pontinha de insatisfação que ainda residia dentro de mim.
E quando eu li a materia,e li as três cartas que aquelas adoraveis meninas escreveram,eu tive certeza que eu não queria mais viver em função de uma dor que não me deixava seguir em frente e fazer tudo aquilo que eu realmente merceia fazer.
Tive certeza,que a unica coisa que eu precisava era que alguem se importa-se comigo por pelo menos alguns segundos,e se mostrasse disposto a me ajudar a vencer os obstaculos dessa vida.

Devo agradeçer á capricho,á Vanessa,á Ana Raquel e Gabriela,por terem feito eu conseguir expulsar esse resto de solidão de dentro de mim,e terem feito eu perceber o quanto eu quero viver,o quanto eu AMO viver !!!

As cartas podem ter sido escritas á Vinicius( e tenho certeza que onde quer que ele esteja está muito feliz em saber que existem pessoas que realmente se preocupam),mas foram de extrema importancia pra minha agora atual buscar pela a felicidade verdadeira.!

Obrigado,do fundo do meu coração! =D

3 comentários:

Bruna Bo disse...

Eu também fiz uma carta, mas a minha não saiu na revista ~:
As que as garotas fizeram mesmo lindas demais...
Biah, eu acho que estamos/estavamos na mesma situação, mas vale a pena viver, como vale.

Te adoro guria! Muito :*

*•Rαfαεℓℓyиhα•* disse...

eu vi essa materia na revista Capricho...eh mto deprimente msmo essa historia "/

á...e gostei do post

Bjuss! O blog tah showw

melzinhah disse...

alguns dias atrás... é incrível como encontramos pessoas que vivem situação parecidas, ou tem sentimentos taum parecidos com os nossos....

pois eh bia... a melhor solução naum eh burlar o problema, pois ele continuaram no fundinho do teu coração t machucando, tem de enfrentar msm e acabar com os medos e receios e superar a dor!