06 janeiro, 2009

O AMOR PODE DAR CERTO. Parte 7

O mês passou ,e pareceu ter levado com ele minha força,e minhas roupas ficaram largas ate demais,meus olhos fundos.
Resolvi deixar tudo para trás e continuar a viver.
Eu me mudaria,e tudo estaria resolvido.
Quando sai do meu apartamento,pilhas de contas me esperavam,e algumas cartas de amigos. Nada de Eduardo.
Olhei para a frente e vi que a porta estava trancada.
A vizinha dele,ao me ver,finalmente sair de dentro de casa,veio correndo,me oferecer ajuda,e me dar a notícia:
-Ele se mudou,logo depois das festas.Tentou falar com você varias vezes,mas..você nunca atendia.
Meu estomago embrulhava e uma tontura teimava em querer me derrubar.
-..ele deixou isso para você.
Ela me deu um envelope e um cd.
Eu não conseguia pensar,não conseguia ficar em pé,perguntei se ele sabia para onde ele tinha ido e quando ela respondeu que não eu simplesmente não agüentei e me entreguei ao desmaio.
-
Não sei o como ,mas acordei em um hospital.
Anemia,pelo tempo sem me alimentar.
Foi bom,para descansar e para recuperar e reorganizar pensamentos.
Quando voltei para casa estava tudo organizado e percebi que tinha vizinhas maravilhosamente amigáveis.
Queria me deitar na minha enorme e aconchegante cama e acordar cedo para ir para o trabalho.
Em cima do travesseiro estava a carta e o cd. Resolvi terminar logo com tudo aqui.
O cd tinha um melodia que tinha traços de que ele tinha tocado.
E a carta estava grande e com algumas manchas de lagrimas.
“Querida Lívia...
Espero que não se importe de te chamar assim.
Lhe devo desculpas,alias,lhe deve sinceros e profundos pedidos de perdão.
Tratei mal seu coração e deixei que alguns problemas particulares lhe magoassem.
Gostaria de estar ai e lhe explicar tudo o que se passou em minha cabeça,mas você não atende mais a porta e nem o telefone.
Me sinto tão culpado.
Nada justifica o que lhe fiz,porem minhas explicações pedem compreensão.
Quando adolescente,me apaixonei por uma colega do colegio,Mariana.de fato tinha sido a garota mais linda e encantadora que eu já tinha visto...até te conhecer.
Enquanto eu lutava com meus pais em defesa de meu sonho,Mariana e eu nos entregamos a uma profunda historia de amor.
Aquela pousada em que te levei,é da família dela.
Ela sempre me apoio,e eu via nela o meu porto seguro.
Estávamos noivos,porem,eu havia desenvolvido um certo vicio por bebida,que sempre aparecia quando eu estava com meus pais.
Eu a amava tanto,tente entender.
Naquela noite,eu havia discutido com meus pais,contei que iria morar ai,neste apartamento com ela e que seriamos felizes para sempre,como nesses filme e contos .
Mas,para variar,essa noticia acabou como discussão,eu bebi e peguei o carro.
Mariana tentou me persuadir a largar o volante para que eu me acalmasse e conversasse com ela,mas não a ouvi.
A estrada estava molhada,eu já estava gritando,quando ela pôs a mão em mim e pediu que eu parasse o carro. Ela estava assustada e eu não dei atenção.
Fui um monstro,a culpa é toda minha,meus pais tem razão.
Ela me pedia para que parasse e lhe contasse o que meus pais tinham me dito,eu fiquei furioso e gritei para ela o que jamais devia ter dito
“-ELES TE ODEIAM,NOS ODEIAM E DESEJAM QUE SEJAMOS INFELIZES. ESTA SATISFEITA ??”
Um caminhão veio na contra mão,derrapamos e ele não agüentou chegar ao hospital.
Ela estava grávida .
O que aumentou ainda mais minha culpa.
Meus pai subordinaram os policiais para que relevassem minha bebedeira.
Eu não pude agüentar e fui embora.
Segui com o plano do apartamento,e do piano.
Achei que jamais amaria alguém,mas então,veio você.
As vezes olho nos teus olhos e sinto meus coração disparar como disparava quando eu estava com ela.
Veja bem,não estou dizendo que procuro ela em ti,apenas digo que o que eu achei que jamais iria acontecer comigo novamente,aconteceu,e graças a ti.
Naquela manha em que gritei contigo,eu tinha discutido com meus pais a seu respeito e a respeito dessa historia toda e o fato deles me dizerem que eu desgraçaria sua vida me fez tomar aquela atitude de gritar contigo.
Eu jamais quis que você fosse,jamais quis lhe causar tanta dor.
Me perdoe.
Eu te amo.

p.s: a musica,é para você,foi composta para ti. “

Eu chorava. Me culpava.
Mais uma vez eu errei e agora não conseguiria concertar.
Dormi ,esperando acordar e descobrir que tudo aquilo tinha sido um pesadelo e que Eduardo estaria ao meu lado.
Mas quando acordei,nada tinha mudado.

CONTINUA

Um comentário:

Maçã do Amor disse...

to acompanhando e to aman-do!!!! Amooo seu blog garota!! Bjos e passe sempre que der la no meu e sera sempre muiito bem vinda!! Bjinhuuu