02 novembro, 2008

Te apresento Débora [Final ]

Lucas,Sabrina,Tadeu e Lucy apareceram como lhes foi pedido,ao apartamento de Débora.
Dona Mara,mãe de Débora os aguardava com uma caixa no chão da sala.
Todos estavam abatidos. Desde o porteiro ate os pássaros.
Era como se o mundo estivesse em um luto interminável. O mais lindo sorriso do mundo havia partido e nada mudaria isso.
Na tampa da caixa ,escrito em preto com a letra de Débora,havia uma espécie de instrução :
Para vocês:
Leiam apenas no momento certo. Sei que saberão qual é.
Assinado,sua sempre Débora
.”

-Estava cheia de cartas,ela fez para todos. Amigos,família,conhecidos,alunos,para todos.- dona Mara respirou fundo e continuou a falar.- a maior parte delas eu já entreguei,só faltam a de vocês.
Eles caminharam devagar em direção a caixa.
Dona Mara deixou a chave em cima da mesa e saiu,pedindo que quando terminassem,deixassem a chave com o porteiro.
Tadeu pegou a carta que tinha o nome dele e de Lucy,os dois abriram na hora a carta,e se sentiram a vontade de compartilhar o que tinha dentro.
Caros amigos tão estimados,
Sinto que seja tarde para lhes dar um abraço,pois já devo ter partido. Mas quero que saibam que o que encontrei em vocês,não encontrei em mais ninguém.
Antes eu levantava as mãos e não sabia o que de bom tirar dessa situação,hoje,no fim,eu sei. Vocês.
Pessoas tão puras,tão amáveis. Que merecem a maior felicidade do mundo.
Pouco tenho a dizer a não ser OBRIGADA.
Sempre foram meus anjos,hoje eu tomarei sem receios esse lugar e os iluminarei.

P.S: O meu presente para vocês e para o bebe esta na caixa.
Com amor Débora.”


Era um porta retrato com a foto do casamento deles. Os três sorriam abobalhados. Débora estava linda. Simplesmente esbanjando sorrisos á todos. E um embrulho para o bebe. Um móbile que ela mesma tinha feito.
Os dois enxugaram as lagrimas e saíram com a carta e os presentes debaixo do braço.

Lucas e Sabrina pegaram as cartas e sem abri-las já pegaram seus embrulhos e saíram.
Lucas deu uma ultima olhada para o apartamento e trancou.
Ao chegar na portaria,pediu para o porteiro que o avisasse quando dona Mara resolvesse vender o apartamento de Débora. Queria comprar. Morar onde o amor de sua vida morou.

Sabrina foi para a praia. Sentou na areia e enquanto as ondas lhe roçavam nos pés,começou a ,silenciosamente, pedir perdão por tudo que já havia feito.
Enfiou a mão no bolso da blusa,prendeu os longos cabelos vermelhos e abriu o envelope destinado a ela.
Sabrina,
Não tenho ódio de você. Apenas te desejo uma boa vida.
Você é uma boa pessoa,só precisava que alguém te dissesse isso.
Perdoe se demorou tanto para lhe dizer.

P.S: conhecendo Tadeu e Lucy como conheço,já abriram as cartas deles e você ,provavelmente já sabe o que o bebe deles ganhou. Fiz um igual para o seu.

Débora.”
Dentro do embrulho tinha um móbile ,e um porta retrato,com uma foto das duas,da época do cursinho de Frances.
Sabrina começou a chorar enquanto abraçava o porta retrato.

****

Missa de sétimo dia.
Igreja cheia. As pessoas já haviam se recuperado em partes pela perda. Já se controlavam melhor quando contavam historias e lembranças de Débora.
-Alguém sabe do Lucas? –perguntou Eliot
- Não o vejo desde o dia das cartas- disse dona Mara.
No altar,tinha um foto grande de Débora. Ela tinha os cabelos soltos,as ondas lhe escorregavam pelos ombros. Vestia um jeans e uma camiseta. Com um sorriso no rosto,e um brilho no olhar que parecia trazer mensagens,parecia dar vida aquela foto.
As pessoas que se sentiam tocas,ia ate o microfone e diziam algumas cosias.
A maioria trazia o envelope rasgado no bolso e lembrava de algum fato que tinha ocorrido,mas nenhuma li ou mostrava o presente que Débora havia deixado.
A porta da igreja se abriu de repente. Todos olharam para trás, era Lucas,com aspecto de quem não dormira,barba a fazer
,os cabelos de um preto reluzentes,já não pareciam mais tão brilhantes.
Ele caminhou firme ate o microfone,seus olhos tinha lagrimas que não cessavam a dias.
Ergueu a cabeça,olhou para a foto de Débora,sorriu tristemente,e depois encarou a todos e disse:
-Espero ser o momento certo.
Todos o olharam sem saber sobre o que ele falava,ate que viram ele estava tirando o envelope bege,lacrado,porem todo amassado –pois ele todas as noites os cheirava tentando extrair os últimos vestígios do perfume de Débora,tentando trazê-la de volta - que Débora havia lhe entregue.
Ele pigarreou,e começou a ler para todos:
Lucas. Meus querido Lucas.
Se a hora certa chegou é porque já não posso mais estar ai ,aperta firme tuas mãos e mentir que tudo esta bem.
Te devo perdão. Te julguei por uma mentira,mais menti para você o tempo todo.
Menti que não te desejava,não te amava. Menti que queria você fora da minha vida e o pior de tudo,menti que era injusto te contar da minha doença pois te magoaria,mas a verdade é que tinha medo de ter que me despedir,de saber que te tinha ali,ao meu lado e não mais poderia acordar e dizer que te amo. Te amo. Te amo.
Me perdoe. E não chore mais.
Eu estou aqui para te ajudar
...”
- ele respirou fundo,engoliu as lagrimas e prosseguiu com a leitura da carta- “...tudo vai se resolver meu amor. Estou aqui do seu lado. Consegue me sentir?
Quando voltares para casa hoje,eu estarei lá,de braços abertos,com o abraço mais apertado que poderá encontrar.
Vai fechar seus olhos e encostar teus lábios nos meus.
Consegue me sentir?Acredita em mim quando digo que estou do teu lado?
Vai abrir teus olhos e eu irei te beijar,te envolver em meus braços e te dar todo o amor que a tanto tempo guardei.
Este momento tinha que ter acontecido, ele está acontecendo, esse momento vai continuar de agora pra sempre.
Não vamos mais nos vê. Não poderei mais me perder no castanho profundo de teus olhos.
Mas o que tínhamos que fazer já fizemos. Acredite em mim, meu amor. Fizemos isso para a eternidade. O que tínhamos que viver já vivemos. Vivemos para sempre.Esqueça os erros. Não se torture imaginando como seria,apenas siga em frente meu amor.
Preserve sua vida longe das coisas que tanto lhe magoam,não hesite nem por um momento em esquecer essa mulher que diz agora , Adeus.
Sempre te amei,e sempre te amarei.
Da sua sempre Débora."
Todos choravam na igreja,Lucas puxou a manga da blusa e limpou as lagrimas que lhe escorriam pela face triste. Puxou um cordão dourado que tinha dentro do envelope.
-E um coração,de ouro. Em um lado tem uma foto minha e do outro uma dela. Tem fotos também.-suspirou e já não conseguindo mais se conter começou a chorar- eu sempre te amei. Me perdoe.me perdoe meu amor.
Eliot subiu ate o altar e o abraçou,o levando para um banco onde pudesse descansar.
Todos se preparavam para sair da igreja quando Sabrina entrou,e brevemente,olhando para a foto de Débora no altar,disse:
-Me perdoa por ser tão má,e obrigada por ter sido a única amiga que tive. Minha filha,recebera o nome da melhor que apareceu na minha vida,DEBORA.
Todos saíram. Tudo ficou para trás. As vidas iriam mudar daqui pra frente.

****
-Parabéns Eliot
-Poxa Lucas ,brigado por ter vindo na minha formatura. Como ta a vida?
-Estou seguindo,hoje tenho um show.
-eu soube,depois da festa vamos lá te ver esta bem?!
-Serão bem vindos.

Lucas morava no antigo apartamento de Débora,tinha preservado quase tudo como era antes. Mas a cada dia,ele sentia que o cheiro dela,a imagem dela perambulando por entre os quartos ,sumia.
Tomou um banho,pegou o violão e foi rumo ao bar onde tocaria.
Muitas pessoas gostavam das musicas dele,mas uma em especial,fazia mais sucesso falava sobre um amor,e perda,talvez ate sobre perdão.
Ele subiu ao palco e olhando para Eliot,e todos seus amigos e familiares que comemoravam a formatura,disse:
-Essa vai para a minha família de consideração,e para o único grande e verdadeiro amor da minha vida. Ela ia estar muito orgulhosa hoje do irmão dela....te amo Débora.
Respirou fundo e começou a tocar. E como que aceitando o convide da vida de ir em frente,guardou todas as boas memórias de Débora em seu coração ,encheu os pulmões de ar e começou a cantar.
Jamais amaria alguém,como amou Débora. Mas ela quereria que ele seguisse em frente.ela pediu.

..O que tínhamos que viver já vivemos. Vivemos para sempre....da sua sempre Débora


Fim.

[Perdoem qualquer erro de digitação,acentuação,etc...=D ]

4 comentários:

Bruna Bianconi disse...

chorei :~

Ni ... disse...

Biah, vc consegue colocar emoções tão puras e intensas que é inevitável sentir o amor transbordando, mesmo através das trágicas realidades que, muitas vezes, assolam a vida...

Parabéns... vc tem um dom...!!! Obrigada por partilha-lo conosco...

Beijo e mais beijos...

Aquela tal de brito disse...

demorei mais lir,
ahhhhhhhh
foi tão triste,
chega fiquei com lagrimas nos olhos.

Aquela tal de brito disse...

continue sempre assim que voce vai longe,
amei a historia espero por outras.
;*